Pesquisar Search

sábado, 20 de janeiro de 2018

"Quem defende que as crianças têm de trabalhar mais, depis de um dia inteiro na escola, esqueceu-se do que é ser criança"

 
César Bona, 2017
"Parece então que subestimamos constantemente as crianças...Sim, em todos os sentidos. Eles têm imensas coisas que podem partilhar connosco e não valorizamos. A nível social, isso também acontece. Faz falta perguntar às crianças como mudavam um parque, que alterações gostariam de ver no bairro onde vivem, o que gostariam que acontecesse para melhorar a vida dos outros. Quando uma pessoa arrisca fazê-lo, os resultados são sempre surpreendentes.
Há turmas menos fáceis, geralmente constituídas por crianças que têm milhares de razões para estarem tão descontentes, tão revoltadas. Primeiro, temos de tentar saber o que passam, nas horas em que não estão ali, e temos de ver isso como um investimento. Para lhes ganhar a confiança, o respeito e depois arrancar a alta velocidade para as outras aprendizagens.
(...) a verdade é que todos temos algo para oferecer. Se nos focarmos no mal, só vemos o mal. Se desviarmos a atenção para o bom, então esse valor vem ao de cima. Estimula a sua autoestima e isso pode fazer maravilhas (...)"


Visão | "Quem defende que as crianças têm de trabalhar mais, depois de um dia inteiro na escola, esqueceu-se do que é ser criança"

sexta-feira, 12 de janeiro de 2018

Dá Voz à Letra | Fundação Calouste Gulbenkian


Dá Voz à Letra deste ano recebeu mais de 90 candidaturas de elevada qualidade! Uma tarefa difícil para o júri que teve de escolher os 20 semifinalistas que vão participar na segunda fase do concurso no dia 20 de janeiro, entre as 10:00 e as 17:00.
Concorreram estudantes dos 15 aos 18 anos, de escolas do ensino público ou privado da Île-de-France (Academias de Créteil, Paris e Versailles), o melhor leitor ou leitora em voz alta. Grava um vídeo com a duração máxima de 3 minutos, onde seja visível a tua imagem a ler, em voz alta, um texto à tua escolha em língua portuguesa. (Só são aceites candidaturas individuais).


Dá Voz à Letra | Fundação Calouste Gulbenkian

sábado, 6 de janeiro de 2018

A universidade sem professores ou exames

Há sempre alguém que sabe mais que nós.

Uma escola diferente, a 42. Paris, França, séc. XXI.  E São Francisco, EUA,

Ao contrário do que sugere o título, há professores - o "corpo docente" ("pedagogical team) que sugere projetos. E prazos - para concluir projetos.

E muitos computadores.

E colaboração.

Website (francês, inglês) ; http://www.42.fr/la-piscine/



Artigo em português:;



A universidade sem professores ou exames

A universidade sem professores ou exames

Há sempre alguém que sabe mais que nós.

Uma escola diferente, a 42. Paris, França, séc. XXI.  E São Francisco, EUA,

Ao contrário do que sugere o título, há professores - o "corpo docente" ("pedagogical team) que sugere projetos. E prazos - para concluir projetos.

E muitos computadores.

E colaboração.

Website (francês, inglês) ; http://www.42.fr/la-piscine/



Artigo em português:;



A universidade sem professores ou exames

A universidade sem professores ou exames

Há sempre alguém que sabe mais que nós.

Uma escola diferente, a 42. Paris, França, séc. XXI.  E São Francisco, EUA,

Ao contrário do que sugere o título, há professores - o "corpo docente" ("pedagogical team) que sugere projetos. E prazos - para concluir projetos.

E muitos computadores.

E colaboração.

Website (francês, inglês) ; http://www.42.fr/la-piscine/



Artigo em português:;



A universidade sem professores ou exames