Pesquisar Search

domingo, 30 de abril de 2017

A Voz do Operário discutiu “perfil dos alunos para o século XXI”

 
"Por último, tratando-se de um perfil que valoriza o
local e a participação, existem desafios em relação à
produção de meios didáticos - a começar pelos livros escolares.
A experiência nas escolas de A Voz revela que a
aquisição anual de livros escolares com a lógica de um
livro/uma criança não é necessário, nem é desejável.
Considera-se que a autonomia das crianças começa com
a conceção do seu plano de aprendizagem como fruto da
interação com as outras crianças e os adultos imediatamente
implicados e não depende de um fornecedor de
conteúdos à distância."

Isto da "frente digital" na educação tem de ser pensado de cabo a rabo, que é como quem diz dos princípios gerais e dos curriculum aos programas, aos manuais e às condições quotidinas das escolas, como tudo o resto, criticamente e evitando deslumbramentos e cansaços.



Vale mesmo a pena ler o parecer todo da Voz do Operário, assinado por Pascal Paulus e publicado na página 4 do Jornal desta escola centenária de Lisboa.



JornalAbril2017.pdf

Sem comentários: